sexta-feira, 28 de julho de 2017

Pedro II: Sígnos e Significados - Doutorado/Curadoria: Rosilan Garrido

Quem perdeu a noite de ontem , da abertura da exposição "Pedro II: Signos e Significados"  que aconteceu no Museu Histórico e Artístico do Maranhão, não se arrependa tanto de não ter ido, vá agora! A exposição fica até dia 3 de setembro.
Ao adentrar a sala de exposição do Museu passando pela Mãe d'Água em meio às folhagens e o poema de Celso Borges bem na entrada, meu coração bateu feliz e fier. A exposição estava muito bem montada. Todas as obras dialogando sobre o tema dessa pesquisa de Rosilan Garrido que ressalta a importância desse espaço fisico, arquitetônico administrativo,  onde tudo começou para a cidade de São Luis do Maranhão, onde a gente é parte da história.  
O catálogo mostra a qualidade das obras, o que pensam os artistas convidados e o resumo do trabalho de doutorado proposto pela artista Rosilan Garrido. 
Me sinto realmente honrada fazendo parte dessa exposição. Por vários motivos. Merci!! 

segunda-feira, 20 de março de 2017

Arte Contemporânea no Maranhão/ Texto de Layo Bulhão - 08/04/2014

Há de se convir que a arte no Maranhão é conhecida principalmente pela grande efervescência da cultura popular, bumba-boi, cacuriá, tambor de crioula, Dança do lelê, entre outras, isso não quer dizer que a produção artística seja resumida somente a essas formas de expressão. Podemos perceber com isso que a força da tradição ainda supera as produção de arte contemporaneidade, mas isso é ruim? Embora se evidencie a produção mais popular da arte isso não quer dizer que não há uma produção diferenciada dentro do estado e embora se pense num atraso artístico, prefiro acreditar que esse tipo de afirmação é um tanto equivocada e carregada de pré-conceitos de uma cultura dominante.
Alguns artistas tem se destacado por sua linguagem singular e por suas potentes formas de expressão e inserção dentro do cenário nacional e internacional, mas pouco evidenciados dentro da cultura local. Artistas estes, que tem explorado variadas vertentes artísticas, tais como dança,  instalação, pintura, fotografia, performance, vídeo arte, videodança. Mas onde estão estes artistas? Logo, surge essa pergunta e a respostas surge como uma outra pergunta, mas retórica: que tipo de arte estamos buscando e onde? Acredito poderíamos também substituir essa pergunta por: onde estão os críticos e curadores da obra de arte maranhense? Não há críticos e com isso não se sabe o que se produz; não há curadores, pois não há espaços para a intervenção e pesquisa do artista e; quais as pesquisas acadêmicas e onde encontrar as que foram feitas, se foram. Com isso os poucos artista que produzem, acabam por produzirem a margem, fora do estado ou com recursos próprios oriundos de outros tipos de trabalho.
Dentre estes artistas que produzem dentro do estado podemos citar por sua estética não tradicional ou convencional apropriação de outros espaços para criação de suas obras: Marília de Laroche (fotografia, arte urbana, performance), Erivelto Viana (performance, dança), Raurício Barbosa (body art), Marcio Vasconcelos (fotografia, performance), Thiago Martins de Melo (pintura, performance), Gê Viana (arte urbana, performance), João Almeida (tipografia artística, artes visuais), Efeito Colateral e Furta Tinta (coletivos de grafite), Porcolitos (intervenções urbanas), Bruno Azevedo (escritor), Celso Borges (poesia), Tairo Lisboa (filme experimental), Wilka Barros (performance fotográfica), Uimar Junior (performance), Ton Bezerra (performance, pintura),  Maria Zeferina (Arte Urbana),  Tieta Macau (Dança, performance), Kenny Oliveira (arte não especificada), Diones Caldas (vídeo arte), Lucian Rosa (cinema), BemDito Coletivo (performance, Intervenções urbanas, dança).
As únicas mostras de arte do Estado são: Semana de Dança e a Semana do Teatro, mas que possuem critérios muito específicos de aceitação e seleção dos trabalhos “nada que não entenda no ato em que vejo poderá entrar”, recorte de pensamento próprio. Outra importante mostra, mas essa realizada a partir de iniciativa não governamental é o Conexão Dança que neste ano está em seu sexto ano de execução que propõe outro olhar sobre a dança contemporânea e performance, mas e as outras artes onde podemos fruir o que está além das pinturas de faixadas de casarões e barquinhos ao por do sol?
Neste contexto o Festival de Arte Contemporânea/MA, tem se proposto desde o ano passado a explorar estes tipos de questionamentos e a dar visibilidade ao artistas que produzem obras que  não são aceitas em mostras de teatro, dança e artes visuais do Estado, assim como de outros. Propondo além das apresentações, exposições e demonstrações de processos, a discursão de temas relevantes para o campo artístico, palestras, rodas de conversas, ou seja, o pensamento crítico para o artista e para o público.
“com que língua você fala”. É uma pergunta? mas onde está a interrogação? O artista na contemporaneidade propõe, quase sempre em sua obra, a mesma sensação que esta pergunta sem “?” nos causa, desconforto, inquietação,  reflexão e acima disto, nos força a participar diretamente da obra e não somente estar num lugar de conforto e comodidade, onde somente me alimento do que vejo, escuto, sinto e não tenho nenhuma necessidade de pensar ou realizar o que podemos chamar de feedback, retorno para ao obra, o outro ou meu redor ou para o artista.  Portanto, o FAC, surge como a ponta refeita de um lápis, para continuar a escrever nas mais diversas línguas da arte, possibilitando o convívio harmônico entre as expressões artísticas contemporâneas e as tradicionais. 
https://blogdolayo.com/2014/04/08/arte-contemporanea-no-maranhao/

domingo, 8 de janeiro de 2017

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Triste ligação entre religião, teatro e dinheiro publico porque mostra tanto o povo seguindo essa encenação mórbida da via sacra quanto o comocional da coisa. Que doideira!! Isso é manipulação!
E vocês, "intelectuais", alimentam essa repetição porque ganham como "artistas" (!!!). Me poupem!!... Qual o interesse cultural em repetir e gastar enorme parte do orçamento da Cultura só nisso? Que masoquismo coletivo! Pelo amor dos deuses, das deusas e da mãe do guarda!

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Como era Doce esse rio

Mataram o Rio Doce!!!
Há anos a Vale come as montanhas de Minas
e caga dinheiro!!!
Mataram um rio inteiro !...

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Grilagem Urbana



          Tudo em detrimento das pessoas.

domingo, 30 de novembro de 2014



Luzes se apagando...

terça-feira, 2 de setembro de 2014



Claro que o ideal seria que tivéssemos como escolher um candidato que não fosse refém das bancadas religiosas. O Brasil está se dividindo entre evangélicos e católicos e isso não é bom , nem para a política e a economia, nem para o caráter da população. 
Émile II - trechos - Jean-Jacques Rousseau
Clássicos Larousse

tradução (marilia de laroche) : 
"Não me canso de repetir: coloquem todas as lições dos jovens em ação e não em discussão; que eles não aprendam nada nos livros que a experiência não possa ensiná-los.
3º A educação da alma.
Até os quinze anos, Émile (*) não soube "se ele tinha uma alma", porque o seu preceptor evitou falar de coisas que ele não podia compreender. O momento chegou agora de abordar esse ensinamento. O Ser incompreensível que abraça tudo, que dá movimento ao mundo e forma todo o sistema dos seres, não é nem visível aos nossos olhos , nem palpável ás nossas mãos; ele escapa á todos os nossos sentidos: a obra se mostra, mas o operário se esconde. Não é então tarefa fácil saber que ele enfim existe, e quando chegamos à esse ponto, quando nos questionamos, à nós mesmos, qual é ele? onde está ele? nosso espírito se confunde, se perde, e nós não sabemos mais o que pensar... Eu prevejo quantos leitores ficarão surpresos de me verem dar sequencia á toda a primeira idade  de meu aluno sem falar de religião com ele. Aos quinze anos ele não sabia se ele tinha uma alma, e talvez aos dezoito ainda não seja tempo que ele aprenda.; pois, se ele aprende mais cedo do que se deve, ele corre o risco de não saber nunca."


domingo, 27 de abril de 2014

Assustador!!! Sarney vive em um mundo de fantasia onde o Maranhão (dele!) é uma ilha de "dinamismo e crescimento" e quem diz o contrário é um "pecador" filho de Gepetto! E nós aqui, enfrentando os horrores de uma realidade que número nenhum seria capaz de esconder. 

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Vida longa à Ubiratan Teixeira

Ubiratan Teixeira saiu de Barreirinhas impressionado com todas as mensagens passadas pelos filmes de curta-metragem exibidos nesse Primeiro Festival Curta Lençóis cuja temática é Turismo e Meio Ambiente. Todos nós, realizadores participantes desse evento, pudemos mostrar no telão, em praça publica, nosso pedido de socorro em nome do Planeta. Cada um à sua maneira e intensidade ! Mas Ubiratan Teixeira foi mais sensível e corajoso do que todos nós reunidos, pois em seu texto, publicado no O Estado do Maranhão (e quem diria), ele próprio denuncia a ineficácia do poder público e a vulnerabilidade do IBAMA no que diz respeito à proteção de nossa maior riqueza : nossa Terra, nosso Ar, nossas Águas ... Vida Longa à Ubiratan !!! Para que ele possa escrever, com a mesma coragem, sobre o que ainda está por vir ! - Marilia de Laroche
Um livro: La traversée du Feu Biographie de Frans Krajcberg, écrit par Claude Mollard et Pascale Lismonde, suivie du Journal d'Amazonie et du Manifeste du naturalisme intégral de Pierre Restany

A crise no vermelho.












"Paraty Ler" - em maranhês

A “locomotiva” desse grupo, em São Luis, chama-se Katia. Katia Dias. Uma mulher tinhosa, que até os dez anos, lá em Cururupu, não sabia nem ler, nem escrever. Foi mexendo num lixo, quando com sua mãe esteve em Sao Luis, que a pequena Katia deu de cara com um Mauricio de Souza. Foi amor à primeira vista, dela pelas letras. Hoje, Katia Dias, que escreve poesias e “viaja” como ninguém, juntamente com Cláudio Costa (grande talento das artes plasticas maranhenses) e o jornalista Paulo Melo, embarcaram em um outro projeto levados por muitos bons ventos. A bordo do catamaran Paraty essa tripulação partiu, agora a pouco, em direção ao Outeiro para de là, em outra embarcação, durante quarenta e cinco dias levar quase três mil exemplares de livros e revistas para serem lidos para e por crianças, jovens, velhos e adultos dos vilarejos das reentrâncias do noroeste do Maranhão. Projeto MAR DE LETRAS (Fundação São Sebastião, Banco do Nordeste e Governo Federal) vai navegando entre rodas de leitura, saraus de poesia e oficinas de arte. O barco acolherà em seu percurso mais dois voluntàrios vindos de outros estados do Brasil. Mar de Letras é mais uma excelente iniciativa socio-cultural dessas de que tanto necessita nosso país. Ato singelo e corajoso - abstração feita às condições da embarcação. Bons ventos o levem ! Marilia de Laroche São Luis, 30 de maio de 2008.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Não tenho tido muito tempo para colocar no blog os delírios desse meu planeta...

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

O Brasil precisa urgentemente de vergonha e de verdade.

Copa do Mundo, Olimpíadas, Turismo, Economia... 
Sempre e mais uma vez, só para inglês ver.
O Governo Federal vai cortar gastos de 30 bilhões de reais para tentar convencer os investidores estrangeiros de que o Brasil está fazendo um esforço. + do mesmo!!

domingo, 12 de janeiro de 2014

Maranhão, labirinto da violência

Foto: Marilia de Laroche/capa do Jornal Vias de Fato - Abril 2011

Os defensores dos Sarney e os próprios Sarney não entendem é o porquê das acusações feitas à eles em especial. Todos nós sabemos que a violência não é uma "desgraça" exclusivamente maranhense. Nosso país está violento. Do Oiapoque ao Chui, do Rio de Janeiro à Pontaporã. Por que razão então os Sarney seriam os principais "culpados" ? A resposta é simples: quando o Brasil conseguiu se livrar da ditadura militar e eleger um presidente civil mais ou menos da vontade do povo, esse "Presidente" morre a uma semana da cerimônia de posse do Governo (²). Quem assume o poder, sem a menor cerimônia? O José de Ribamar Sarney, aliado dos militares, homem que sempre esteve em cima do muro, que já naquela época era um oligarca no Maranhão. Não vamos aqui especular sobre a morte de Tancredo Neves (vamos combinar, um tanto misteriosa e inexplicável) , mas o fato é que o Sarney tomou o poder quando poderia ter, de imediato, proposto novas eleições (o momento exigia). Com Tancredo tínhamos Leonel Brizola, Ulisses Guimarães, Miguel Arraes ! Com eles nossa história teria sido outra, bem melhor, tenho certeza. Mas não podemos chorar o leite derramado. O que aconteceu então, foi um "governo de transição" calcado em valores retrógrados, religiosos inclusive (como presidente do Brasil Sarney proibiu até a exibição do filme Je vous Salue Marie, de Godard e mandou colocar a frase "sob a proteção de Deus" no preâmbulo da nossa constituição), um "governo" assistido pelos militares que sob seu comando ainda baixava o pau na moçada que preparava o Diretas Já. O caso é que o Sarney tomou o poder e com ele todos os segredos de Estado e se beneficiou particularmente com eles. Distribuiu canais de televisão aos seus aliados e se apoderou da imprensa no Estado do Maranhão. Por quê será que até o Lula virou seu parceiro? É óbvio que Sarney sabe dos podres do Lula (que não é nenhum santo!) . Outro fato que estamos aqui quase esquecendo e portanto é tão recente e aconteceu tão perto da gente, que foi o golpe de 2009! Os Sarney tiraram o Dr. Jackson Lago do Palácio dos Leões. Ele , que foi eleito pelo povo em uma grande prova de que a população do Maranhão queria acabar com esse domínio da oligarquia , foi posto para fora de uma maneira tão humilhante e tão injusta e tão violenta que o Doutor Jackson Lago morreu em 2011, de câncer, é certo, mas porque triste, deprimido e humilhado diante de um país inteiro e de um Supremo Tribunal, naquele momento, evidentemente corrompido pelo poderio Sarney. O fato é que o Sarney se mantém no poder, nos mais altos postos do poder e nunca, NUNCA!!! fez nada para mudar a situação do país, que , desde que ele assumiu esses poderes , vem se degradando e afundando em mediocridade e miséria, a mesma que domina o Estado do Maranhão: a miséria intelectual. Ao invés de ajudar o país num todo, ele só fez acumular riquezas para ele e sua família e amigos e distribuir favores a seus aliados "políticos". E quando ele diz que sua filhinha está "investindo muito" no setor penitenciário , dá é muita raiva! O lance não é investir muito no setor penitenciário. O grande lance é investir muito na saúde e na educação . Que todos os brasileiros desfrutem das mesmas condições sociais, que possam nascer e se cuidar em hospitais de qualidade e que possam receber instrução de qualidade , que nossos políticos sejam homens preparados para assumir cargos públicos. Só assim , com igualdade de condições é que vamos poder diminuir as desigualdades e, consequentemente, diminuir a violência. Só com um mínimo de igualdade social é que as coisas podem chegar a um nível aceitável de convivência. Não é com políticos cheios de privilégios, mandando seus filhos estudarem fora e receberem cuidados médicos em hospitais particulares de referência que vamos acabar com a violência em nosso país. Não é aumentando o numero de "vagas" nas penitenciárias! Por isso é que o exemplo dos Sarney, há 50 anos no poder, nos dá o direito de culpá-los direta ou indiretamente, pelos males do país. O dinheiro , o poder e os privilégios que ele e as famílias similares do Brasil afora mantém é que derrubam a moral do povo brasileiro e fazem com que todo o país esteja nessa "desgraça" (*¹),  infelizmente. (*¹) palavra empregada por Sarney. 
( ²) com "P" maiúsculo  (o p é por causa da precedente colunia do Sarney Politica com P Grande)



segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Virtorealidade

De repente fiquei triste
Pra você nada disso existe

domingo, 17 de novembro de 2013

terça-feira, 5 de novembro de 2013




Dulce de leche
Doce deleite
Amargo deleta-me


domingo, 3 de novembro de 2013

"Se eu tivesse medo de morrer eu não tinha nascido"


Eu conheci os irmãos My Fly recém-fugidos de casa nas ruas do Centro Histórico de São Luis. Eram duas crianças. Na época, um com 15 e o outro com 13 anos de idade. Me contaram a triste história de suas vidas. Me cortava o coração ver dois meninos, tão bonitos, assim em situação de tamanho abandono. Sete anos se passaram. Há sete anos eles vivem ali, no Reviver, entre a Praça Nauro Machado e o Portinho. Noites e dias nesses sete anos, na rua, nesse espaço tão reduzido onde o mundo passa, tudo passa. As drogas (merla, craque, álcool) estão acabando com eles. Sob efeito delas eles esfaqueiam, tomam facadas, roubam, apanham, caem... A decadência é total e evidente. Os dois sobrevivem aos companheiros mortos na violência da Praia Grande. Dores que eles tentam esconder. Junto com eles outros tantos ali, perdidos, dormem nos bancos, ocupam a praça, denunciando, sem querer, nossa imensa falta de humanidade.

terça-feira, 22 de outubro de 2013


Ai, ai, ai... Desta vez o velhaco senador do Amapá vem, em sua coluna "dominguada", posando de vítima, em seu Jornal do Maranhão. Tadinho! Hoje, à beira de bater as botas e de partir desta para melhor (?), ele se pergunta : "por quê todos declararam guerra ao Sarney e aos 40 anos de oligarquia?". Tadinho, gente !! Vamos combinar... A culpa de tudo que está acontecendo no Maranhão, e no Brasil , não é SÓ DELE! Claro que não! É DELE e de quem mais se uniu á ELE. Na "colúnia" de hoje, sem perder a pose, em meio às choramingas, ele mantém seus ataques nada discretos. Mas, tadinho, leiam suas lamúrias, com as quais ele tenta nos convencer de sua " santa inocência":

1- "Há 35 anos não disputo eleição no Maranhão - a última vez foi em 1978."

2- "Não participo da política local..." 
3- "Só tenho feito pelo Maranhão o bem e nunca persegui ninguém."
4- Não tenho inimigos e nem os aceito voluntários."
5- "Acolhi, num tempo difícil dos militares, muitos militantes de esquerda..."
6- "Para mim a oposição é sempre bem-vinda... mas outros,movidos à ódio, inveja, ressentimentos e ambição desmedida, não têm valor nem objetivos nobres, senão a conquista do poder."
7- "Tenho serviços prestados ao país."
8- "Dediquei toda a minha vida ao interesse público."
9- "Presidi a transição democrática..."
E lá, ele fecha com chave de ouro, quase chorando...
"Mas é com orgulho que vejo o Maranhão de hoje...que cada vez mais avança com a liderança da governadora Roseana."
Snif , snif... Também tenho vontade de chorar!!!

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Pedrinhas na estrada




Fazia tempos que eu nem me dava mais ao trabalho de ler a "dominguada" do Sarney. Mas não resisti a essa de hoje. A cara de pau é tão imensa que vale algumas considerações. Hoje, ele resolveu falar dos "boatos" que paralisaram a cidade nesses últimos dias. Só lendo para entender o que eu adoraria poder gritar pelas ruas. O cara foi "presidente do Brasil" , é senador vitalício do Congresso Nacional e ainda tem a cara de pau de dizer que "matamos 1 milhão e 90 mil pessoas" todos os anos. "Matamos"? Peraí, eu não matei, você matou? Quem matou foi esse sistema político corrupto do qual esse senhor faz parte há mais de 50 anos. Ele que durante todos esses anos tinha o poder (e os outros) nas mãos e poderia ter feito alguma coisa pelo país e não fez! Ele diz que "o problema dos presídios é grave e que não se resolve do dia pra noite" , mas poderia ter sido resolvido nesses 50 anos, porque o problema da segurança não vai se resolver com a construção de mais presídios. SAÚDE E EDUCAÇÃO: enquanto o povo brasileiro não puder nascer, todos, com os mesmos direitos, em hospitais de qualidade e não puder sair das escolas com o mesmo nível de instrução, nunca vai haver segurança. A violência tem origem na desigualdade social. Podem trazer para o Maranhão todos os maiores investidores do mundo, de nada vai adiantar se o básico e fundamental não for direito assegurado ao cidadão. De nada vai adiantar se, de Brasília, a maior facção criminosa continuar comandando o país.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Hai Casa



A casa está bonita, lavei o visual
Joguei fora o que sobrava
Ficou o essencial

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Sete de Setembro de 2013

Nada aconteceu. Ninguém nas ruas. A letargia de um sábado de feriado incomoda pela falta de revolução. Silêncio opressor. Calor. Suor. Leseira. O país não vai mudar. Apenas Rio, São Paulo e Minas Gerais lutam pelo gigante. O gigante nem agradece. O poder amordaça a juventude. Sentimento de injustiça. Latente violência. Morte intelectual.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

12 de Outubro - Dia da Criança

 Para comemorar o Dia da Criança 2007, a Superintendência de Cultura Popular da Secretaria de Cultura do Estado do Maranhão preparou uma programação variada e muito feliz para a criançada de zonas ditas carentes de São Luis. Uma das idéias postas em pratica foi a Papagaiada : uma oficina ministrada por um expert no assunto, o senhor Careca. Durante a tarde dessa quinta-feira, onze de outubro, sessenta crianças aprenderam com ele a fazer papagaio. Taboca (*), papel de seda, linha e cola foram postos à disposição da criançada no espaço de criação da Casa de Nhozinho, na rua Portugal. Nada mais apropriado pois em meio às maravilhas do mestre maranhense na fabricação de brinquedos. Todo o ultimo andar do imenso casarão foi ajeitado ao gosto das crianças e à luz de um novo tempo : cor, cabana de indio e brinquedos tradicionais fabricados com material reciclado. Todo um andar para brincadeiras. No atelier ao lado a moçada acompanhou tim-tim por tim-tim as instruções de mestre Careca , fascinadas com a habilidade e as historias desse personagem risonho e colorido da periferia ludovicense. Soltar papagaio, empinar pipa ou arraia*, é uma das diversões mais populares da humanidade. Uma das brincadeiras mais lúdicas e palpàveis da nossa infância. Soltar papagaio é segurar o vento em papel de seda ! "Quem não se lembra das Papagaiadas na praia do Olho d’Agua , há alguns anos em São Luis?" , questionou mestre Careca. Pois então? Depois de fabricarem elas mesmas seus papagaios, as crianças ganharam cada uma um pirulito, daqueles puxa-puxa, em forma de cone, vendidos em tabuleiros de antigamente. Um tabuleiro inteiro foi oferecido às crianças com pirulitos nos sabores de maracujá, morango e caju, feitos por uma senhora que já pequena vendia pirulito pelas ruas dessa cidade. Após distribuição de lanche e pirulitos, as crianças assistiram ao espetàculo teatral O Consertador de Brinquedos. Hoje, dia 12 de outubro, Dia das Crianças, a meninada que ontem fabricou os papagaios com mestre Careca, se reuniu às nove da manhã, no aterro do Bacanga para o concurso de "lanceada" - ganha quem derrubar mais papagaios e resistir mais tempo no ar. As linhas dos papagaios participantes foram cuidadosamente preparadas com cerol (mistura de cola e po de vidro – perigosíssima para aquelas mãozinhas menores e para a vida de motoqueiros, sem contar que é totalmente inutil se você quer só ter prazer em ver sua pipa no ar). Mas enfim!...O vencedor foi ... uma menina !!! Monique foi auxiliada pelo avô que hoje pôde ter certeza de que a netinha tinha assimilado tudo que ele ensinou . Ela derrubou nada menos que oito papagaios, dos trinta e quatro inscritos na competição. O segundo colocado derrubou cinco e o terceiro três. Ao final, todas as crianças foram recompensadas com muito picolé e àgua fresca e todas as pessoas presentes foram contempladas com mais esse momento simples de recreação : uma manhã de sol à beira do rio transmitindo às crianças valores seguros de nosso patrimônio cultural. *taquara lá no sudeste do Brasil **Muito menos prerigosos que os balões, os papagaios também são utilizados em experiências cientificas. Lembram dos para-raios de Benjamin Franklin ? Marilia de Laroche 12102007SL/MA

quarta-feira, 21 de agosto de 2013


O projeto de inclusão através do ballet, da professora Olinda Saul, é um sonho. Vejo as crianças e os jovens que frequentam as aulas entusiasmados e os pais que acompanham seus filhos que ficam ali encantados com o que vêem e com o que ouvem. Música clássica e movimentos corporais que desafiam a lei da gravidade, e a vontade de ser um bailarino ou uma bailarina brilhando nos olhos de cada um. O Projeto Dança Criança  é mesmo "Uma Fábrica de Sonhos" que se realizam. 

domingo, 11 de agosto de 2013


A cena é chocante: o rapaz fica sentado em frente à pizzaria olhando as pessoas que estão comendo. Infelizmente essa é uma cena comum em pleno Centro Histórico de São Luis. Hoje aconteceram duas coisas que envergonham a cidade: turistas recém-chegados foram assaltados ainda no carro de turismo que os levava do aeroporto á pousada. Um outro grupo pediu ao guia que não fizesse o city-tour e que fossem direto para Barreirinhas pois acharam a cidade muito suja e fedorenta. Francamente senhores "secretários de turismo" , não adianta querer "vender" a cidade como "produto turístico" se falta o básico : o produto precisa estar em excelentes condições.

Turma da Oficina de Calótipos

Tivemos a oportunidade única, em São Luis, de participar da Oficina de Calótipo, no IFMA (Instituto Federal do Maranhão, com os feras Fernando Fortes e Rogério Sassaki, do atelier Imagineiro , de São Paulo.

Utilisando velhas câmeras de exposição manual (sem diafragma) , fizemos , cada grupo, quatro fotografias . Um dia e meio da preparação do papel, colocação do mesmos nas câmeras, levar a câmera para o local a ser fotografado , até a revelação , secagem e o enceramento do papel.


O Calótipo é uma técnica fotográfica do século XIX que antecede a fotografia.  



O resultado é o "negativo" e graças aos avanços tecnológicos, com photoshop (ou aplicativo de telefone celular) se pode transformar o "negativo" em "positivo"

terça-feira, 14 de maio de 2013


Eu já possuo o meu nada, muito obrigada.
Posso usar o telefone?
Fique á vontade, meu amor ...

domingo, 31 de março de 2013

Nessa madrugada do mês de janeiro de 2010, um terremoto destruiu o Haiti. O país já era um caos, um amontoado de terra rodeada por água cujo único valor é estratégico. Mais uma vez a população foi dizimada, aniquilada, abandonada á mercê da morte. Hoje aqui em São Luis, seis mortes violentas, cujas imagens nos jornais valem tanto quanto dez das do Haiti, chocavam a gente nas ruas. Aqui não temos terremoto. Será? Temos terror, motos, armas, cachaça... Matam tanto quanto um terremoto. As vezes eu sei que falar dessa forma parece fatalismo, pessimismo... Não é. Quem me conhece sabe que eu sou bem humorada, adoro contar piadas, adoro me sentir á vontade... adoro meus amigos e rio muito com eles e com meus filhos. Mas não sou cega .... muito menos insensível...

Coração de mãe


Chove.
Desde que amanheceu o dia, chove
A casa está fechada
A calma se mistura a umidade
O mato cresce em densidade
Sinto falta de meu filho...
Santacatarineidade
Longe, muito longe....
Uma eternidade.


Marilia/18/02/2011

Em pleno centro da cidade, casal de carcarás observa a paisagem


segunda-feira, 25 de março de 2013

"Seca ou estiagem" , mais "dominguada" impossível!

Gente, segundo Sarney, abro aspas , "o Maranhão sempre esteve ligado ao problema das secas. Quando não é por falta de chuvas é pelos problemas que as secas do Nordeste trazem para o nosso estado. O mais visível deles, a população. Quando fui governador do Maranhão, de 1966 a 1970, mandei fazer um levantamento estatístico sobre a nossa população e uma das constatações mais reveladoras é de que a metade da população do Maranhão tem origem nordestina. São descendentes de emigração daquela área"!!!!!  Fecho as aspas!! 
Quer dizer que a população de origem nordestina é um problema para o Maranhão e o Maranhão não é um Estado nordestino?!!!! 
Sarney, definitivamente não gosta de nordestinos pois ele completa, em sua coluna "dominguada" que (mais uma vez abro as aspas),  "nossos índices de desenvolvimento social que estão melhorando vão sofrer de novo o baque, pois a seca que assola o Nordeste fez com que viessem - emigrassem para o Maranhão, cerca de 200.000 pessoas, e nós, que já tínhamos uma população de seis milhões e meio, passamos para seis milhões e setecentos, a décima do Brasil, aumentando assim o número de pessoas para dividir uma produção que diminuiu, o que faz cair nossos índices" !!!! 
Mais uma vez ele culpa os nordestinos. Já que ele separa o Maranhão do nordeste, podemos concluir que para ele a culpa não é nossa!!! Menos ainda da governadora! E que ele não tente explicar o inexplicável, porque quando ele diz que tem parentes nordestinos, soa mais como plágio da música de Chico Buarque , "Paratodos"!

domingo, 10 de março de 2013

Sarney adora Papa e não engole Comunistas


Só mesmo o tempo para fazer aparecer a verdade. A "dominguada" do Sarney de hoje é a maior prova dessa premissa. Em "premissa" tem "missa", o que nos leva ao papa e á São Bento, interior do Maranhão. Muito se fala a respeito: conclave, conchavos, vaticano , bancadas religiosas e evangélicos no poder (e o tal do Marco Feliciano) . Sarney, aos oitenta e tantos anos, hoje mostrou que é um homem regido, ele também, por preceitos que desconhece. Ele que gosta tanto de citar grandes homens, deveria ter lido Jean-Jacques Rousseau, Diderot, Voltaire... Mas vamos deixar as citações de lado e vejamos o que ele diz em sua "coluna" torta que escreve no jornal O Estado do Maranhão, meio de comunicação de sua inteira propriedade: "O papa e São Bento". Ai podemos notar o quão danoso é impôr ás crianças o assunto "Deus" antes da maioridade e antes de nossa capacidade de entender o que Deus significa em nossas vidas. Sarney cresceu com distúrbio papal e acreditando mesmo que "comunista" come criancinhas. Além de estar expondo sua insistência em querer fazer o povo acreditar que ele é uma pessoa fora do comum só porque esteve com alguns papas durante sua existência (dita "mafiosa") nessa Terra, ele quer agora, em véspera de eleições, fazer o povão acreditar que Flávio Dino (ele não cita o nome, mas subentende-se), que é comunista, é tudo que a "santa igreja" e todos os sete papas , quase todos seus "amigos pessoais", condenam! Estamos mesmo vivendo um momento muito perigoso de nossa história. Estamos voltando á Idade Média, quando a "igreja" , "a religião" , se metia nos assuntos de Estado e condenava qualquer um que desobedecesse as "leis de Deus" (impostas pelos homens) á fogueira da intolerância e ás chamas verdadeiras. Nossa Constituição diz que nosso país é laïco, mas os políticos liberaram para a igreja e os pastores todas as formas de regalias. A mais absurda: a isenção de impostos. 1789 marcou a história da humanidade, com o iluminismo da Revolução Francesa quando se decretou o fim da influência nefasta da "igreja" sobre as decisões do Estado. Mas... luz não se faz...
Por incrível que pareça, o papa Bento XVI , o ultimo que Sarney conheceu pessoalmente - esse mesmo que chegou ao Vaticano cheio de marra e amarras, ao renunciar talvez esteja colocando pra fora a podridão desse universo de homens vestidos de saias e ornados de jóias raras pregando e apregoando limitações , em nome de DEUS. Quem sabe com ele chegue ao fim essa grande farsa. Quem sabe com ele chegue ao fim a insanidade de dizer para as crianças que Deus é o que os homens do poder querem que elas acreditem que seja. Quem sabe um dia o Sarney , antes que chegue o seu fim, entenda que "comunista" não é um monstro,que nem todo mundo que respeita a liberdade de expressão é comunista e que "comunismo" também é sinônimo de "comunhão". Marilia de Laroche


Espetáculo "A Besta Fera: uma biografia cênica de Maria Aragão", um solo de Maria Ethel com direção de Gisele Vasconcelos. Excelentes o trabalho e a homenagem à "comunista" Maria Aragão. Foto: MdL Espaço Angelus Novus/São Luis - na programação do I Festival de Arte Contemporânea da UFMA.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A última de "presidente"


Não posso deixar passar desapercebida a coluna "dominguada" do Sarney desse dia 3 de fevereiro de 2013. Foi a última enquanto "presidente "do Senado! A última! E ninguém , graças aos céus , se importou. Mas ele se importa, e muito! Ele quer, a qualquer preço, ser lembrado como alguém importante para o país , tão importante que ele solta esse tipo de frase pedante e sem modestia, digna de um homem sem valor: "Dediquei toda a minha vida ao meu país, pude ajudá-lo incorporqando-me á sua história". Mamma mia!! Eu nunca vi tanto egocentrismo numa pessoa só. Como se a história do Brasil precisasse de um homem como ele que não fez nada que não fosse em benefício próprio. Tudo que ele enumera em sua coluna como feitos de sua pessoa, foram feitos de um governo, de transição, diga-se de passagem. E essa constituição vigente está ,faz tempo, precisando de revisão total. Quantas falhas e abusos! E seus 146 títulos , entre livros, ensaios e etc... Não sei não... Sarney.... Sempre se vangloriando. E , coitado, como bem diziam os gregos que "as coisas são boas quando terminam bem" , realmente não cabe para a história dele, cujo nome e a cara serão , para sempre, símbolos da corrupção e do banditismo na política nacional.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Mais circo , por favor!



E o país comemora mais um carnaval. 
Povo mais sem juizo... Enquanto enche a cara de cerveja e pula feito pipoca na panela quente, o insano "Senado" elege para o cargo de presidente o calhorda corrupto do Renan Calheiros. Sim, esse mesmo! Esse que tem uma filha com uma jornalista bancada com uma pensão de 12 mil reais por mês com dinheiro sujo do lobismo nacional.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

53 mil reais por mês?????????????


Eu coloquei as faixas na Praia Grande e na porta da Câmara dos vereadores para protestar contra o aumento de salário que eles se fizeram. Exorbitante e descabido, indecente. Quarenta e oito mil reais por mês. Fiquei lá na rua feito uma idiota doida até o meio dia. Depois desisti, ningupém ia mesmo ficar ali comigo. Deixei as faixas, certa de que elas seriam retiradas. Qual o quê. Ninguém mexeu nelas e a imprensa acabou tendo que entrevistar o presidente da Câmara de São Luis , o tal do Pereirinha . Ele tentou justificar o injustificável e disse que o salário deles na verdade é "só" de onze mil reais e que o restante é para gastos que eles devem comprovar com "notas verdadeiras". E ao final a conta aumentou: o salário deles chega a 53 mil reais por mês. 
Olha, para fazer o nada que eles fazem - é, porque se eles realmente cumprissem suas funções a cidade não estaria nesse caos - onze mil daria pra eles viverem super bem e ainda poderian fazer caridade.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Via Intelsat


Internáutica
Oceânica distância
Fibras ópticas
Meus verdes
Seus azuis
Céu
Terra
Mar
Que queres
Que das


segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Mudança de hábitos

Há seis anos o dono de um bar, que fica de frente á Fonte do Ribeirão, estaciona o carro dele na frente da minha casa: todos os dias, das sete e meia da manhã ás onze da noite, sendo que no domingo ele coloca o carro lá ás quatro da tarde.Resultado: eu nunca tenho a frente da minha casa livre para parar o taxi quando volto do supermercado, ou para que meus amigos estacionem quando me visitam nos fins-de-semana, nem para sentar na beira da calçada para bater papo tomando uma fresca. A mãe dele, inclusive, chega ao cúmulo de colocar barricada com latas de tinta para reservar a vaga para o filho, em frente á minha casa!!! Na sexta-feira eu pedi a ele que variasse um pouquinho e colocassse o carro dele na frente do bar dele, ou de frente á casa da mãe dele, que mora a vinte metros da minha casa... Mas a resposta foi categórica: não ponho não, a rua é pública e se eu não colocar outro vai colocar. Concordo! A rua é pública e , com certeza, se ele não colocar , outro vai fazer. O que ele não entende é que "outro" não tem um bar plantado na esquina e não vai ficar estacionado das sete da manhã ás onze da noite todos os dias da semana, como ele faz há seis anos. Com "outro" eu tenho bem mais chances de, em algum momento do dia, ter a frente da minha casa livre. Fui , mais uma vez, educadamente , pedir á ele que me liberasse a frente da minha casa. Não preciso contar aqui tudo que ouvi. Apenas deixo registrada a violência dos gestos e das palavras e a ameaça de agressão física. Para impedir então que ele coloque o carro dele na minha porta eu resolvi criar a minha barricada com a inscrição: "Reservado para mudança" – Para mudança de hábito!!!

domingo, 16 de dezembro de 2012

Fala sério!

Fala sério! Ainda agora , passando pela fonte, vejo essa cena inusitada: uma escada, um cara sentado ali na janelinha da fonte, um monte de turista fotografando , crianças brincando de dar comida para os peixinhos e ele ali balançando a perninha. Fui em casa, busquei a máquina e fotografei o que pude. Os turistas já tinham ido embora. Perguntei pra ele se o colocaram pra vigiar a fonte dali. Ele me disse que não , que disseram pra ele ficar sentado lá na porta da FUNC, mas ele preferia ali onde estava, que era mais divertido. Gente, a Fonte foi entregue ontem e o cara já está sujando a frisa branca com a sandália dele. Simpático o rapaz, mas um tanto sem noção, né não?! Só aqui pra acontecer umas coisas dessas.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Com bastante atraso foi entregue a obra de restauração da Fonte do Ribeirão. Ela agora está de cara nova e pronta para visitação

Fico muito feliz quando, a partir de uma mobilização , a gente consegue fazer com que os gestores públicos entendam nossas reivindicações e cumpram com seus deveres. Bravo a todos nós artistas e moradores da cidade que fizemos essa reforma acontecer!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Os dias estão cada vez mais quentes. Parece que São Luis está ainda mais perto do Sol.


Não vejo "diversão" nisso.



E vai ficar por isso mesmo. Na sexta-feira que vem, podem saber, vai estar tudo igual, ou pior! Não consigo ver "diversão" nisso.

Os musicos franceses que estavam aqui para a apresentação do Bobines Melodies, ficaram chocados com a cacofonia a todo volume (impossível conversar!), com ela a falta de respeito (ninguém dorme), com a sujeira, com a violência (assistiram a uma ação da polícia que os deixou perplexos), com a embriaguez da juventude, com o cheiro de mijo e merda, com o lastimável estado dos casarões , com o assédio incessante de pessoas pedindo dinheiro, com a péssima qualidade de atendimento dos bares da rua da Estrela, enfim.... O que salvou a passagem deles por São Luis foi o calor da platéia agradecida pela apresentação de ontem no Teatro da Cidade. Penso que é preciso, urgente, que as autoridades estejam presentes na próxima sexta-feira e que cumpram os seus papéis. Não é mais possível que o Centro Histórico de São Luis seja frequentado por hordas de arruaceiros e bandidinhos de toda espécie; que as ruas sejam transformadas em latrinas a céu aberto; que a invasão sonora abafe o grito de quem pede socorro. A situação é péssima e está cada vez pior. Precisamos exigir do próximo prefeito que ele seja homem o bastante pra colocar ordem e dignidade na Praia Grande.

domingo, 28 de outubro de 2012

Fui convidada pelo SESC a expor minha instalação 400 ângulos na 7° MostraSESC Guajajara de Artes. A instalação é uma estrutura de madeira com chapas de zinco formando um quadrado de 2 metros com 100 fotografias em cada lado,  tiradas de esquinas da cidade de São Luis. A obra proprõe uma reflexão sobre o papel de cada um de nós na imagem da cidade. Essa obra eu criei para ser apresentada no 3° Salão de Artes da Cidade de São Luis onde ficou exposta durante três meses. Na quinta-feira , dia 25 de outubro , fui com a equipe do SESC desmontar a estrutura no Salão para levá-la para o Terminal de Integração da Praia Grande onde o SESC tem permissão da prefeitura para convidar artistas e expor ARTES VISUAIS em locais públicos, como é o caso desse terminal de ônibus. Terminamos a montagem na sexta-feira á uma hora da tarde. Ficou lindo. A reação dos passantes era gratificante. A reflexão estava sendo feita, diálogo total com o público. 
Fotografei as esquinas em um ângulo que as faz parecer ter olhos , nariz e boca. Algumas lindas e bem cuidadas, outras bem sujas e destruidas, outras sem graça, muitas interessantes. A obra ficou exposta apenas duas horas. Ás três da tarde as fotografias foram arrancadas, sem que o SESC fosse comunicado, sem diálogo, sem piedade, porque é véspera de eleição? Hoje a cidade está elegendo seu prefeito. Minhas esquinas faziam as pessoas reagirem de várias maneiras. Mas todas eram unânimes em criticar a sujeira e o péssimo estado da maioria das 400 esquinas fotografadas. A maioria das pessoas culpava o prefeito pela sujeira e a degradação. Enquanto eu estive lá colocando as fotografias no painel, eu podia fazer as pessoas refletirem sobre o assunto:  o lixo que se via ali na fotografia não foi o prefeito quem jogou. "É verdade... somos nós mesmos" , quem estaciona carros nas calçadas quebrando o meio-fio? " é mesmo, é a própria população" ..acabavam por entender a obra... 
O único que não entendeu foi o Secretário Municipal de Trânsito e Transportes  , responsável pelos Terminais de Integração , que simplesmente mandou arrancar todas as fotos alegando que elas depunham contra o prefeito .  Ato absurdo de censura e falta de bom senso. Era melhor ele não ter feito nada e ficado na dele. Faltou com respeito á arte , ao SESC e á população. 
Se o atual prefeito perder as eleições, não terá sido por causa das minhas fotografias de esquinas. As esquinas são as mesmas desde as eleições passadas.
Tomara que quem for eleito tenha sensibilidade suficiente para entender que "a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte".

A Torturada da Beira-Mar


domingo, 21 de outubro de 2012

Algo está errado

Pica-Pau é artista, dos mais radicais. Sóbrio ou drogado e sem grana. Quando bebe é um saco (como todo bêbado, aliás). Seu sonho é tomar uísque sendo entrevistado pelo Jô, para que sua história fique "registrada". De uma eloquência desconcertante, Pica-Pau tem pensamentos gritantes. Se vacilar você chora. Ele chora. Não entende porque a vida deu á ele talento e quase nenhum alento. Pobre, fodido, inconformado, sensível e verdadeiro. Nada que o reconforte. Faltam-lhe disciplina, reconhecimento, aconchego e amor (o próprio e mais principal). Vive do pouco que ganha trabalhando a madeira. O descubro pintor!!! Dos melhores. E na sua pintura como na sua postura percebo o perverso da mais-valia. Esse quadro que ele pinta (lindo!) ali na calçada - com tinta acrílica , para secar rápido - vai ser vendido na esquina por cinquenta reais. Metade vai para o consumo da pedra. A outra metade para os bens essenciais: pão com ovo, mortadela e suquinho em pó que ele quase mistura á água rás. Algo está mesmo muito errado: esse quadro vale mil vezes mais.

domingo, 14 de outubro de 2012

O Maranhão não é mais no Brasil ?

Mais uma vez estou aqui a analisar a "Coluna do Sarney", porque , na verdade, mais uma vez a cara de pau desse "honorável" senhor me deixa pasma. 
Mais uma vez ele começa seu texto citando escritores. Hoje ele atacou de Saulo Ramos, que além do fato de só ter escrito um livro, O Código da Vida, foi ministro da Justiça na era Sarney. Saulo Ramos foi quem escreveu  "Erro Crasso" afirmando que a OAB maranhense, instituição estadual, não teria competência para propor uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, que seria julgada pelo Supremo Tribunal Federal para impedir a institucionalização da Fundação José Sarney em Museu da Memória Republicana (que ele defendeu com unhas e dentes) e que, segundo ele, apenas o Conselho Federal da entidade poderia fazê-lo. 
Mais uma vez e, preparem-se, não será a última, Sarney se auto valoriza em sua coluna dominguada. Ele tem que fazer isso, pois seu nome hoje é sinônimo de infâmia. Na "dominguada" dessa manhã ele fala da doação que fez ao povo maranhense do "tesouro que o destino o fez acumular". Ele diz:  "Eu poderia ter feito como os outros presidentes fizeram: vender esse patrimônio e ficar rico. Nunca em minha vida privilegiei a ambição material. Minhas prioridades foram os valores do espírito e o bem público" . Gente, o Museu da República no Rio de Janeiro contradiz o que ele está querendo afirmar. E , gente, ele nem precisaria vender esse monte de tralha para ficar rico, vamos combinar, ele  já é milionário.
E continua: "Assim doei ao povo Maranhense, através do Estado, todo esse tesouro para que dele desfrutem maranhenses e brasileiros". 
Dá para acreditar? O Maranhão não é  mais Brasil ? Ah, claro, pode ser que não mesmo. Vai ver o Sarney já assinou documento se apoderando do Estado e já determinou que fosse um país á parte: o dele. Vai ver que é isso! Temos que ficar de olho, pois tanto o Convento das Mercês, cujo prédio já é tido como pertencente á familia Sarney, quanto o terreno que hoje abriga o galpão onde acontece a feira do Livro, na Praça Maria Aragão, me parecem dois casos evidentes de "grilagem urbana" cometidos pela familia Sarney (em nome do Estado, é claro).  Mas do caso do terreno falaremos em outra oportunidade.  
O caso do Convento das Mercês merece de imediato nossa atenção. Me inquieta o fato de os artistas protestarem contra a mudança de local do Circo da Cidade e não contestarem a utilização do Convento, o dinheiro gasto com mega-shows para se comemorar o aniversário da cidade, o péssimo estado da Escola Modelo, a extinção da galeria Nagy Lajos, a má utilização da Casa do Maranhão, a falta de um transporte decente e seguro entre o cais da Praia Grande , em São Luis, e a cidade de Alcântara. Tanta coisa importante que necessita a população...
 














A quem interessa estudar o acervo doado pelo Sarney, pois se ele mesmo diz que os bens materiais não têm valor. O que deve ser estudada , essa sim, é a personalidade dessa figura dissimulada que entrou na nossa história pela porta dos fundos e hoje se revela doentia na "Coluna do Sarney". 

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Ainda bem que festa como aquela, só daqui 400 anos

O governo do Estado do Maranhão gastou uma verdadeira fortuna com mega-shows para comemorar os 400 anos da cidade. Mas a cidade não tem sequer uma galeria de Arte. Dessa orgia não ficou nada para São Luis. Nada! Mais uma vez o dinheiro do povo maranhense foi usado para a turma da Roseana Sarney esbaldar-se em festa. Primeiro foi o carnaval no Rio, agora eles tiveram a cara dura de contratar a Osquestra Sinfônica Brasileira ( nada menos !) para servir de bandinha para acompanhar os "cantores" locais. O que se viu, perdoem-me a franqueza,foram os mais medíocres tentando soltar a voz diante de um público enganado que esperava ouvir a OSB tocar Villa Lobos ou Ravel. Ainda bem que "festa igual a esta, só daqui a 400 anos"!

domingo, 30 de setembro de 2012

A falta de profissionalismo é tamanha no Maranhão, que uma simples poda de árvore mostra a desqualificação da mão-de-obra.


Buraquinho vai virar um buracão

Não é preciso ser engenheiro para saber que do jeito que foi feito não vai durar. Por baixo das ruas quatrocentenárias da ciadde de São Luis existem galerias por onde escoam as águas da chuva e dos esgotos. Sob nossos pés estão também as galerias de fiação da Praia Grande (único bairro com iluminação feita através de fios subterrâneos). Quando chegam as chuvas as águas conseguem infiltração entre as pedras e a areia que foi colocada como revestimento por baixo delas escorre deixando as pedras sem "chão", literalmente. Mais chuvas e o buraquinho vira um buracão.

domingo, 16 de setembro de 2012

Emaranhado! Ê Maranhão!


Tenha a santa paciência!

Ele está cada vez pior. Com a idade avançada, com todo o respeito e paciência que tenho para com os idosos, o senhor Sarney está mesmo sofrendo de gloriãtus sumus e está beirando a insanidade de quem quer a todo custo um lugar que na verdade não lhe cabe na nossa história. Mas que o seja já que o dinheiro de nosso suor lhe proporciona momentos de glória e poder e já nem pode mais comprar nossa alforria. O jeito é ter paciência e esperar que ele parta , que deixe o Congresso Nacional, que suma no fumacê que melhor lhe convenha, pois já estamos impacientes pra saber como vai ficar o antro que ele criou depois que  ele deixar o mundo dos mortais e escafeder-se nos Mistérios do Céu ou do Inferno.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012


Perdoem-me se coloco vocês , mais uma vez , diante da coluna do velhaco, mas é que ele me exaspera. Desta vez (ai minha nossa, é demais!!!), além de dar uma de "boa ovelha" (e olha que as ovelhas são os bichinhos mais burrinhos que existem sobre a Terra) e continuar citando frases de personagens importantes de nossa história (o que ao final só nos faz duvidar de sua capacidade de escrever dele próprio algo que tenha conteudo ), ele termina sua "louvação" á São Luis, pedindo á nós, simples mortais , para "cheirar" a cidade e "louvar"!!! Ele está querendo nos matar sufocados com o cheiro de mijo e de lixo azedo ??? Louvar? Agradecer a "festança" que só vai se repetir daqui a 400 anos??? Socorro!!!

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Kalashnikov !

Desta vez o velhaco extrapolou!!! Além de citar Dostoieviski, dizer que "Deus conduz a humanidade no seu mistério e cabe a nós acreditar", ele afirma que Deus em pessoa vai recebê-lo no céu e pedir que conte histórias do Maranhão!!!! Quem Sarney pensa que é ? Raskolhnikov ?? Mamma mia!!! Noмощь !!!!