domingo, 3 de novembro de 2013

"Se eu tivesse medo de morrer eu não tinha nascido"


Eu conheci os irmãos My Fly recém-fugidos de casa nas ruas do Centro Histórico de São Luis. Eram duas crianças. Na época, um com 15 e o outro com 13 anos de idade. Me contaram a triste história de suas vidas. Me cortava o coração ver dois meninos, tão bonitos, assim em situação de tamanho abandono. Sete anos se passaram. Há sete anos eles vivem ali, no Reviver, entre a Praça Nauro Machado e o Portinho. Noites e dias nesses sete anos, na rua, nesse espaço tão reduzido onde o mundo passa, tudo passa. As drogas (merla, craque, álcool) estão acabando com eles. Sob efeito delas eles esfaqueiam, tomam facadas, roubam, apanham, caem... A decadência é total e evidente. Os dois sobrevivem aos companheiros mortos na violência da Praia Grande. Dores que eles tentam esconder. Junto com eles outros tantos ali, perdidos, dormem nos bancos, ocupam a praça, denunciando, sem querer, nossa imensa falta de humanidade.