domingo, 31 de março de 2013

Nessa madrugada do mês de janeiro de 2010, um terremoto destruiu o Haiti. O país já era um caos, um amontoado de terra rodeada por água cujo único valor é estratégico. Mais uma vez a população foi dizimada, aniquilada, abandonada á mercê da morte. Hoje aqui em São Luis, seis mortes violentas, cujas imagens nos jornais valem tanto quanto dez das do Haiti, chocavam a gente nas ruas. Aqui não temos terremoto. Será? Temos terror, motos, armas, cachaça... Matam tanto quanto um terremoto. As vezes eu sei que falar dessa forma parece fatalismo, pessimismo... Não é. Quem me conhece sabe que eu sou bem humorada, adoro contar piadas, adoro me sentir á vontade... adoro meus amigos e rio muito com eles e com meus filhos. Mas não sou cega .... muito menos insensível...

Coração de mãe


Chove.
Desde que amanheceu o dia, chove
A casa está fechada
A calma se mistura a umidade
O mato cresce em densidade
Sinto falta de meu filho...
Santacatarineidade
Longe, muito longe....
Uma eternidade.


Marilia/18/02/2011

Em pleno centro da cidade, casal de carcarás observa a paisagem


segunda-feira, 25 de março de 2013

"Seca ou estiagem" , mais "dominguada" impossível!

Gente, segundo Sarney, abro aspas , "o Maranhão sempre esteve ligado ao problema das secas. Quando não é por falta de chuvas é pelos problemas que as secas do Nordeste trazem para o nosso estado. O mais visível deles, a população. Quando fui governador do Maranhão, de 1966 a 1970, mandei fazer um levantamento estatístico sobre a nossa população e uma das constatações mais reveladoras é de que a metade da população do Maranhão tem origem nordestina. São descendentes de emigração daquela área"!!!!!  Fecho as aspas!! 
Quer dizer que a população de origem nordestina é um problema para o Maranhão e o Maranhão não é um Estado nordestino?!!!! 
Sarney, definitivamente não gosta de nordestinos pois ele completa, em sua coluna "dominguada" que (mais uma vez abro as aspas),  "nossos índices de desenvolvimento social que estão melhorando vão sofrer de novo o baque, pois a seca que assola o Nordeste fez com que viessem - emigrassem para o Maranhão, cerca de 200.000 pessoas, e nós, que já tínhamos uma população de seis milhões e meio, passamos para seis milhões e setecentos, a décima do Brasil, aumentando assim o número de pessoas para dividir uma produção que diminuiu, o que faz cair nossos índices" !!!! 
Mais uma vez ele culpa os nordestinos. Já que ele separa o Maranhão do nordeste, podemos concluir que para ele a culpa não é nossa!!! Menos ainda da governadora! E que ele não tente explicar o inexplicável, porque quando ele diz que tem parentes nordestinos, soa mais como plágio da música de Chico Buarque , "Paratodos"!

domingo, 10 de março de 2013

Sarney adora Papa e não engole Comunistas


Só mesmo o tempo para fazer aparecer a verdade. A "dominguada" do Sarney de hoje é a maior prova dessa premissa. Em "premissa" tem "missa", o que nos leva ao papa e á São Bento, interior do Maranhão. Muito se fala a respeito: conclave, conchavos, vaticano , bancadas religiosas e evangélicos no poder (e o tal do Marco Feliciano) . Sarney, aos oitenta e tantos anos, hoje mostrou que é um homem regido, ele também, por preceitos que desconhece. Ele que gosta tanto de citar grandes homens, deveria ter lido Jean-Jacques Rousseau, Diderot, Voltaire... Mas vamos deixar as citações de lado e vejamos o que ele diz em sua "coluna" torta que escreve no jornal O Estado do Maranhão, meio de comunicação de sua inteira propriedade: "O papa e São Bento". Ai podemos notar o quão danoso é impôr ás crianças o assunto "Deus" antes da maioridade e antes de nossa capacidade de entender o que Deus significa em nossas vidas. Sarney cresceu com distúrbio papal e acreditando mesmo que "comunista" come criancinhas. Além de estar expondo sua insistência em querer fazer o povo acreditar que ele é uma pessoa fora do comum só porque esteve com alguns papas durante sua existência (dita "mafiosa") nessa Terra, ele quer agora, em véspera de eleições, fazer o povão acreditar que Flávio Dino (ele não cita o nome, mas subentende-se), que é comunista, é tudo que a "santa igreja" e todos os sete papas , quase todos seus "amigos pessoais", condenam! Estamos mesmo vivendo um momento muito perigoso de nossa história. Estamos voltando á Idade Média, quando a "igreja" , "a religião" , se metia nos assuntos de Estado e condenava qualquer um que desobedecesse as "leis de Deus" (impostas pelos homens) á fogueira da intolerância e ás chamas verdadeiras. Nossa Constituição diz que nosso país é laïco, mas os políticos liberaram para a igreja e os pastores todas as formas de regalias. A mais absurda: a isenção de impostos. 1789 marcou a história da humanidade, com o iluminismo da Revolução Francesa quando se decretou o fim da influência nefasta da "igreja" sobre as decisões do Estado. Mas... luz não se faz...
Por incrível que pareça, o papa Bento XVI , o ultimo que Sarney conheceu pessoalmente - esse mesmo que chegou ao Vaticano cheio de marra e amarras, ao renunciar talvez esteja colocando pra fora a podridão desse universo de homens vestidos de saias e ornados de jóias raras pregando e apregoando limitações , em nome de DEUS. Quem sabe com ele chegue ao fim essa grande farsa. Quem sabe com ele chegue ao fim a insanidade de dizer para as crianças que Deus é o que os homens do poder querem que elas acreditem que seja. Quem sabe um dia o Sarney , antes que chegue o seu fim, entenda que "comunista" não é um monstro,que nem todo mundo que respeita a liberdade de expressão é comunista e que "comunismo" também é sinônimo de "comunhão". Marilia de Laroche


Espetáculo "A Besta Fera: uma biografia cênica de Maria Aragão", um solo de Maria Ethel com direção de Gisele Vasconcelos. Excelentes o trabalho e a homenagem à "comunista" Maria Aragão. Foto: MdL Espaço Angelus Novus/São Luis - na programação do I Festival de Arte Contemporânea da UFMA.