domingo, 31 de março de 2013

Nessa madrugada do mês de janeiro de 2010, um terremoto destruiu o Haiti. O país já era um caos, um amontoado de terra rodeada por água cujo único valor é estratégico. Mais uma vez a população foi dizimada, aniquilada, abandonada á mercê da morte. Hoje aqui em São Luis, seis mortes violentas, cujas imagens nos jornais valem tanto quanto dez das do Haiti, chocavam a gente nas ruas. Aqui não temos terremoto. Será? Temos terror, motos, armas, cachaça... Matam tanto quanto um terremoto. As vezes eu sei que falar dessa forma parece fatalismo, pessimismo... Não é. Quem me conhece sabe que eu sou bem humorada, adoro contar piadas, adoro me sentir á vontade... adoro meus amigos e rio muito com eles e com meus filhos. Mas não sou cega .... muito menos insensível...

Coração de mãe


Chove.
Desde que amanheceu o dia, chove
A casa está fechada
A calma se mistura a umidade
O mato cresce em densidade
Sinto falta de meu filho...
Santacatarineidade
Longe, muito longe....
Uma eternidade.


Marilia/18/02/2011

Em pleno centro da cidade, casal de carcarás observa a paisagem